,

Vivendo em Harmonia. "Família é um prato difícil de preparar"

dezembro 27, 2010

"Família é prato difícil de preparar"
(do livro O Arroz de Palma, de Francisco Azevedo)
Família é prato difícil de preparar.

São muitos ingredientes. Reunir todos é um problema, principalmente no Natal e no Ano Novo. Pouco importa a qualidade da panela, fazer uma família exige coragem, devoção e paciência. Não é para qualquer um. Os truques, os segredos, o imprevisível. Às vezes, dá até vontade de desistir. Preferimos o desconforto do estômago vazio. Vêm a preguiça, a conhecida falta de imaginação sobre o que se vai comer e aquele fastio. Mas a vida, (azeitona verde no palito) sempre arruma um jeito de nos entusiasmar e abrir o apetite. O tempo põe a mesa, determina o número de cadeiras e os lugares. Súbito, feito milagre, a família está servida.

...Família é prato que emociona. E a gente chora mesmo. De alegria, de raiva ou de tristeza.

Primeiro cuidado: temperos exóticos alteram o sabor do parentesco. Mas, se misturadas com delicadeza, estas especiarias, que quase sempre vêm da África e do Oriente e nos parecem estranhas ao paladar tornam a família muito mais colorida, interessante e saborosa.

Atenção também com os pesos e as medidas. Uma pitada a mais disso ou daquilo e, pronto, é um verdadeiro desastre. Família é prato extremamente sensível. Tudo tem de ser muito bem pesado, muito bem medido. Outra coisa: é preciso ter boa mão, ser profissional. Principalmente na hora que se decide meter a colher. Saber meter a colher é verdadeira arte. Uma grande amiga minha desandou a receita de toda a família, só porque meteu a colher na hora errada.

O pior é que ainda tem gente que acredita na receita da família perfeita. Bobagem. Tudo ilusão. Não existe

Família à Oswaldo Aranha; Família à Rossini, Família à Belle Meunier, Família ao Molho Pardo, em que o sangue é fundamental para o preparo da iguaria. Família é afinidade, é a Moda da Casa. E cada casa gosta de preparar a família a seu jeito.

Há famílias doces. Outras, meio amargas. Outras apimentadíssimas. Há também as que não têm gosto de nada, seriam assim um tipo de Família Dieta, que você suporta só para manter a linha. Seja como for, família é prato que deve ser servido sempre quente, quentíssimo. Uma família fria é insuportável, impossível de se engolir.

Enfim, receita de família não se copia, se inventa. A gente vai aprendendo aos poucos, improvisando e transmitindo o que sabe no dia a dia. A gente cata um registro ali, de alguém que sabe e conta, e outro aqui, que ficou no pedaço de papel. Muita coisa se perde na lembrança. Principalmente na cabeça de um velho já meio caduco como eu. O que este veterano cozinheiro pode dizer é que, por mais sem graça, por pior que seja o paladar, família é prato que você tem que experimentar e comer. Se puder saborear, saboreie. Não ligue para etiquetas. Passe o pão naquele molhinho que ficou na porcelana, na louça, no alumínio ou no barro. Aproveite ao máximo. Família é prato que, quando se acaba, nunca mais se repete.

"Se tivéssemos consciência do quanto nossa vida é passageira, talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora as oportunidades que temos de ser e de fazer os outros felizes"
Gostaram do texto acima? muito inspirador e real, não é mesmo?Vai chegando o fim de ano e a gente sente necessidade de fazer um balanço e reavaliar as coisas.

Eu acho que se gostamos de estar com as pessoas , convivendo em harmonia, mesmo levando em consideração nossa personalidade e identidade, a gente tem que ser agradável e ser boa companhia. Saber ceder, ter cerimônia e delicadeza nas atitudes e comentários. Eu sei que é difícil, quantas vezes eu não erro a dose e fico um chata de galocha! Mas não se pode dar uma de Técnico de Futebo: "Ahhhh agora vcs vão ter que me engulir"!!! Tem muita gente que pensa e age assim. "Eu sustento , eu criei e agora tem que ser do meu modo". Essas pessoas vivem quebrando a cara e sempre estão insatisfeitas.

Eu também sei que é fácil dar receitinhas de vida como se fossem receitinhas de cupcakes (viu como estou muderrrna?). Mas não é esta a minha intenção. Gostoso é interagir com voces, e agradeço de coração os emails enviados, tem sido uma grande troca.

Temos que ter senso crítico para conosco mesmo e entender que cada um é cada um , com vida própria. O amor e as boas relações, se conquistam constuindo e lapidando-se diáriamente. Não espere dos outros... E quando vc se tiver alguma dúvida ou der uma recaída corre e vai ler Kalil Gibran, no livro "O Profeta", vai ler Lia Luft em "Perdas e Danos", o livro Arroz de Palma, ou vem pra cá pro blog e vamos papear...

Tenha vida própria!

Todo o mais é decorrência, consequência do seu equilíbrio, da energia boa que emana de você, fazendo com que todos tenham prazer de estar ao seu lado!

Bjokas

That's All Folks!!!!!

LEIA TAMBÉM

4 comentários

ASSINE A NEWSLETTER

Cadastre seu Email receba as Novidades do Mother of the Bride

Mais Recentes

CURTA NO FACEBOOK